quinta-feira

NOVENA E MISSA SOLENE DE SANTA ANA

PRECE PARA TODOS OS DIAS

Senhora Sant’Ana, fostes chamada por Deus a colaborar na salvação do mundo. Seguindo os caminhos da Providência Divina, recebeste São Joaquim por Esposo.
Deste vosso matrimônio, vivido em santidade, nasceu Maria Santíssima, que seria a Mãe de Jesus Cristo.
Formando Vós família tão santa, confiantes nós vos pedimos por esta nossa família paroquial. Alcançai-nos a todos as graças de Deus: aos PAIS dos lares de nossos bairros, que vivam na santidade do matrimônio e formem seus filhos segundo o Evangelho; aos FILHOS de todas as casas que foram este território paroquial, que cresçam em sabedoria, graça e santidade e encontrem a vocação a que Deus os chamou.
Pedi a Jesus vosso santíssimo Neto que pise na cabeça do mal que nos ronda. Protege nossas famílias conta todo tipo de vingança espiritual e material. Seja a guarda de nossa juventude para que sejam arrancadas do mundo das drogas, amizades destruidoras, libertinagem possessiva, força satânica e da falta do temor de Deus. Seja a senhora a enfermeira espiritual de nossos doentes, companheira dos idosos abandonados, ajuda dos sem casa e guarda de nossas almas, juntamente com a grande Mãe de Deus.
E a TODOS nós, Pais e Filhos, alcançai-nos a alegria de viver fielmente na Igreja de Cristo, guiados sempre pelo Espírito Santo, para que um dia, após as alegrias e sofrimentos desta vida, mereçamos também nós chegar à casa do Pai, onde vos possamos encontrar, para junto sermos eternamente felizes, no Cristo, pelo Espírito Santo. Amém!




Ladainha de Santa Ana

Senhor, tende piedade de nós.
Cristo, tende piedade de nós.
Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, ouvi-nos.  Jesus Cristo, atendei-nos.

Deus, Pai dos Céus, tende piedade de nós.
Deus Filho, Redentor do mundo,
Deus Espírito Santo,
Santíssima Trindade, que sois um só Deus,
           
Senhora Santa Ana,                            rogai por nós.
Santa Ana, avó de Jesus Cristo,
Mãe de Maria Virgem,
Esposa digníssima de Joaquim,

Sogra do santo patriarca José,
Raiz de Jessé,
Alegria dos Anjos,
Filha dos Patriarcas,

Oráculo dos Profetas,
Glória dos Santos,
Alegria dos Sacerdotes e Levitas,
Cumulada de graças,

Porteira do céu,
Modelo de bendição,
Modelo de mulher virtuosa,

Espelho da sabedoria,

Auxílio dos doutores,
Fortaleza da Igreja,
Educadora das mães,
Refúgio de todos aflitos,

Defensora dos cristãos,
Alívio e alegria dos doentes,
Mãe terníssima das viúvas,
Mestra e educadora das virgens,

Protetora eficaz dos navegantes,
Terror dos demônios,
Luz e refúgio de todos que a invocam,
Advogada desta paróquia,

Rogai por nós Santa Ana.
Para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém.


BENÇÃO DO SANTÍSSIMO SACRAMENTO

 TÃO SUBLIME SACRAMENTO

Tão sublime sacramento adoremos neste altar.
Pois o Antigo Testamento deu ao novo o seu lugar.
Venha à fé, por suplemento os sentidos completar.

Ao Eterno Pai cantemos e a Jesus, o Salvador:
ao Espírito exaltemos, na Trindade eterno amor;
Ao Deus Uno e trino demos a alegria do louvor. Amém.

V.: Do céu lhes destes o Pão.
R.: Que contém todo sabor.

Oremos: Deus, que neste admirável Sacramento, nos deixastes o memorial da vossa paixão, concedei-nos tal veneração pelos sagrados mistérios do vosso Corpo e do vosso Sangue, que experimentemos sempre em nós a sua eficácia redentora. Vós, que viveis e reinais pelos séculos dos séculos.
R.: Amém.

Bendito seja Deus.
Bendito seja o seu Santo Nome.
Bendito seja Jesus Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro homem.
Bendito seja o nome de Jesus.
Bendito seja o seu Sacratíssimo Coração.
Bendito seja o seu preciosíssimo sangue.
Bendito seja Jesus Cristo no Santíssimo Sacramento do altar.
Bendito seja o Espírito Santo Paráclito.
Bendita seja a grande Mãe de Deus Maria Santíssima.
Bendita seja a sua Santa Imaculada Conceição.
Bendita seja a sua gloriosa Assunção.
Bendita seja o nome de Maria Virgem e Mãe.
Bendito seja São José, seu castíssimo esposo.
Bendito seja Deus nos seus Anjos e nos seus Santos.

ORAÇÃO – Deus e Senhor nosso protegei a vossa Igreja, dai-lhe santos pastores e dignos ministros. Derramai as vossas bênçãos, sobre o nosso santo padre, o Papa ...., sobre o nosso arcebispo, e (seus bispos auxiliares) sobre o nosso Pároco, sobre todo clero sobre o chefe da Nação e do Estado, e sobre todas as pessoas constituídas em dignidade para que governem com justiça. Dai ao povo brasileiro paz constante e prosperidade completa. Favorecei, com os efeitos contínuos de vossa bondade, o Brasil, este arcebispado, a paróquia em que habitamos, a cada um de nós em particular, e a todas as pessoas por quem somos obrigados a orar ou que se recomendaram às nossas orações. Tende misericórdia das almas dos fiéis que padecem no purgatório. Dai-lhes, Senhor, o descanso e a luz eterna. Amém.
Pai Nosso.
Ave Maria.
Glória ao Pai.




NOVENÁRIO
1º DIA DA NOVENA – 15 DE JULHO – ABERTURA DA FESTA
Convidados: Comunidade de São Sebastião, Núcleo Santa Mônica e Apostolado da Oração.
Tema: Santa Ana, avó da Misericórdia.

1.  Acolhida
(procissão de Entrada)

2.  Saudação Litúrgica
P: Obras do Senhor; povos todos e nações dai graças ao Senhor, porque Ele é bom, porque eterna é a sua misericórdia.
T.: Demos glória a Deus Pai onipotente, a seu Filho Jesus Cristo, Senhor nosso, e ao Espírito que habita em nosso peito, pelos séculos sem-fim. Amém!
P: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
T.: Amém, agora e pelos séculos dos séculos!

3.  Nome dos(as) padroeiros(as) Vem ao encontro de Santa Ana

(Entronização e incensação da Imagem. Logo após, faz-se a contemplação que segue. Durante a incensação, silêncio orante.)
P: Salve senhora Sant’Ana, mulher a nós tão carinhosa. Sois a avó do belo Amor, o Senhor Misericordioso.
T: Sois a mãe daquela que é nossa doçura, esperança e geradora da Misericórdia!
P: Santa Ana, tão singela e modelo, vossos devotos vos louvam, pois de tua casa saiu Jesus, Aquele que a humanidade esperava para ser salva.
T: Caminhamos pressurosos ao encontro do Senhor.
P: Pois somos necessitados de vida e compaixão,
T: Para vencermos a solidão e toda opressão! Amém!
Leitor: Voltemos nosso olhar para a cidade de Nazaré e encontremos Nossa Senhora, filha de Santa Ana e São Joaquim, na profunda contemplação das coisas de Deus e de sua nobre missão.
T: Quem é de Deus sabe compreender que o Senhor realiza, aqui e agora, a História da Salvação!
Leitor: É aqui e agora, aos pés de Santa Ana que o Senhor nos dá sua misericórdia, como no tempo de outrora, pois somos o povo da nova Aliança que Ele estabeleceu, começando por Nossa Senhora.
T: A luz da eternidade que penetrou em nossa humanidade não terá mais fim: É Jesus, nosso Redentor!
Leitor: Como Igreja peregrina e com o coração transbordante de agradecimento, recordamos as maravilhas que o Senhor realizou entre nós com seu amor sempre pronto para nos libertar.
T: E foi na casa de Santa Ana que brotou o ramo de Jessé, cresceu e se espalhou por toda a terra os ramos de misericórdia. Amém!

4.  Com Santa Ana a Cristo
(Súplicas)
P: Senhora Sant’Ana, sois mãe daquela que é mãe dos pequenos e humildes, sois sinal da simplicidade de Deus, volvei para nós vosso olhar intercessor, e convosco vamos caminhar na esperança de ver surgir, em todos os cantos da terra,
T: Rebentos de paz, de esperança e de vida. Pois, como Avó de Jesus, é o que vós desejais. Amém.

– Ladainha de Santa Ana (Pág. 5)

P: Senhor Deus, vós desejais que vosso coração divino bata em nosso peito e que vossa paz faça nele morada, aceitai nosso louvor, pois somos agradecidos por vosso infinito amor. Aceitai o que, por nós, vossa serva tão querida, Santa Ana, vos apresenta.
T: E conservai-nos em cada dia, com Santa Ana e São Joaquim, no caminho de Jesus, nossa misericórdia. Amém.

5.  Palavra de Deus

P: Cristo é o Caminho, e nele temos a certeza de que vamos chegar
T: Ao lugar que desejamos e esperamos!
P: Eis o momento sublime, pois vamos escutar o que o Senhor vai nos falar.
T: Feliz quem escuta o que ele diz! Nunca irá vacilar ou ficar sem saber para onde ir!
P: São Bem-aventurados os que guardam em sua existência o que nos veio do céu, pois é a Palavra a verdade da eternidade que alcançou nossa humanidade.
T: E isso se realizou porque o Senhor é amor e quis nos plenificar em sua misericórdia! Amém!

(Entronização da Palavra de Deus)
Cântico à Palavra de Deus
Anúncio – Bem-Aventuranças Mt 5, 1-12

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo,
ao ver as multidões, Jesus subiu ao monte e sentou-Se.
Rodearam-n’O os discípulos
e Ele começou a ensiná-los, dizendo:
«Bem-aventurados os pobres em espírito,
porque deles é o reino dos Céus.
Bem-aventurados os humildes,
porque possuirão a terra.
Bem-aventurados os que choram,
porque serão consolados.
Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça,
porque serão saciados.
Bem-aventurados os misericordiosos,
porque alcançarão misericórdia.
Bem-aventurados os puros de coração,
porque verão a Deus.
Bem-aventurados os que promovem a paz,
porque serão chamados filhos de Deus.
Bem-aventurados os que sofrem perseguição por amor da justiça,
porque deles é o reino dos Céus.
Bem-aventurados sereis, quando, por minha causa,
vos insultarem, vos perseguirem
e, mentindo, disserem todo o mal contra vós.
Alegrai-vos e exultai,
porque é grande nos Céus a vossa recompensa».

6.  Mensagem

Contemplando a misericórdia
Leitor: “Precisamos contemplar sempre o mistério da Misericórdia.
É fonte de alegria, de serenidade e de paz. É condição para nossa salvação.
T: Misericórdia é a palavra que revela o mistério da Santíssima Trindade.
Misericórdia é o ato final e supremo pelo qual Deus nos encontra.
Leitor: Misericórdia é a lei fundamental que habita no coração de cada pessoa quando olha com olhos sinceros ao irmão que encontra no caminho da vida.
T: Misericórdia é a via que une Deus e o homem, porque abre o coração à esperança de ser amado para sempre apesar do limite do nosso pecado”.

7.  Oferta de flores e donativos

P: Mãos que oferecem flores são mãos das mães que afagam na hora da dor
T: E que educam os filhos no amor!
P: Mãos que oferecem flores são mãos abençoadas das mamães que trabalham para ganhar o pão
T: e, mesmo que voltem cansadas, trazem alegria na coração!
P: Mãos de Santa Ana, mãos da mulher simples de Nazaré, da mulher do casebre, da favela, dos prédios e dos condomínios, mãos que sabem construir a vida, o sonho e a paz.
T: Acolhei nossas ofertas e flores, ó Santa Ana, como acolhestes Jesus em vossa família e entregai a Deus, para que ninguém saia daqui sem vosso conforto e a benção do Senhor.
Canto do ofertório
Oração A Santa Ana
(O presidente convida os fiéis a fazerem seus pedidos silenciosos a padroeira)
Oração na página 04

8.  Benção do Santíssimo Sacramento (pág. 7)

9.  Agradecimentos, convidar os participantes para comparecerem durante toda a novena, anunciar os animadores de amanhã.




2º DIA DA NOVENA – 16 DE JULHO
Convidados: Comunidade Nossa Senhora da Divina Providência, Núcleo Santo Agostinho do Lambari, Congregação das Irmãs Beneditinas da Divina Providência, Pastoral da Família.
Tema: Santa Ana, intercessora junto da Esperança e da vida.

Missa da Novena
1.  Acolhida
(Procissão de Entrada)

2.  Saudação litúrgica

P. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
T. Amém!

P. A graça de Nosso Senhor Jesus...
(Antes do Ato Penitencial, faz-se uma pequena monição para a recepção das Imagens dos Padroeiros, e incensação da Imagem de Santa Ana).

3.  Ato Penitencial
4.  Hino de Louvor
5.  Liturgia da Palavra

6.  Preces

P. Como os pássaros, nos campos e nas florestas, que se alegram em cada manhã, também hoje nos alegramos, pois é o Senhor, o Bom Pastor, neto de Sant’Ana que nos conduz. Nos voltemos para a Imagem dela para que, por meio de suas preces, possamos ser dignos das promessas de Deus.

Ladainha de Santa Ana (Pág. 5)

P. Senhor, Deus dos Pobres e dos que esperam em vós, fomos redimidos em vossa misericórdia e quereis nossa perfeição. Escutai nossa súplica pelas mãos de vossa serva Santa Ana, pela qual, nos alegramos por termos tão grande intercessora no céu. Por Cristo, neto dela e teu Filho.
T. Amém!

7.  Ofertório
(Nas mãos da comunidade venham as Âmbulas e o Vinho, alimentos para os pobres)

8.  Oração Eucarística
9.  Rito da comunhão

10.              Ação de Graças pós-comunhão

Breve comentário:
Novamente voltemos nossos olhares para a Imagem de nossa Excelsa Padroeira, para que como filhos dessa paróquia, possamos crescer na unidade, vivendo na Esperança indo ao encontro da verdadeira Vida.
(Das mãos da comunidade podem vir as flores, prendas, gestos de carinho.)

P. Ó Senhora Sant’Ana, avó da Esperança, rogai por nós, estendei sobre nós vosso olhar, e dai-nos vosso alento maternal, juntamente com São Joaquim, vosso digníssimo esposo. (Pode-se pedir a comunidade que faça seu pedido no momento de silêncio)
T. Oração na página 04


10.              Agradecimentos, convidar os participantes para comparecerem durante toda a novena, anunciar os animadores de amanhã.






3º DIA DA NOVENA – 17 DE JULHO
Convidados: Comunidade de Santo Antônio, Comunidade Nossa Senhora das Graças,  Movimento RCC.

Tema: Santa Ana, advogada dos pobres e excluídos.

Missa da Novena
1.  Acolhida
(Procissão de Entrada)

2.  Saudação litúrgica

P. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
T. Amém!

P. A graça de Nosso Senhor Jesus...
(Antes do Ato Penitencial, faz-se uma pequena monição para a recepção das Imagens dos Padroeiros, e incensação da Imagem de Santa Ana).

3.  Ato Penitencial
4.  Hino de Louvor
5.  Liturgia da Palavra

6.  Preces

P. Senhor, Deus dos pobres, encontrais acolhida no coração dos excluídos do direito à vida, pois os orgulhosos e sábios do mundo estão ocupados com outras coisas, vinde ao encontro de vosso povo, com vossa Aliança eterna de amor. Celebramos hoje o terceiro dia da novena de Santa Ana. Nos voltemos para a Imagem dela para que, por meio de suas preces, possamos ser dignos das promessas de Deus.

Ladainha de Santa Ana (Pág. 5)

P. Senhor, Deus dos pobres, vinde dar pão aos famintos e oportunidade aos que estão excluídos nas estradas da vida. Escutai nossa súplica pelas mãos de vossa serva Santa Ana, pela qual, nos alegramos por termos tão grande intercessora no céu. Por Cristo, neto dela e teu Filho.
T. Amém!

7.  Ofertório
(Nas mãos da comunidade venham as Âmbulas e o Vinho, alimentos para os pobres)

8.  Oração Eucarística
9.  Rito da comunhão

10.              Ação de Graças pós-comunhão

Breve comentário:
Ofertar é dar a vida e ser solidário. É fazer a vida acontecer de um alvorecer. As mãos que se estendem para ofertar, são mãos benditas e sempre prontas para acolher e amar! Das muitas flores que floriram nos jardins, nós vos ofertamos, ó Santa Ana, aqui trouxemos como gesto de gratidão porque nos estendeis vossas mãos e nos dais vosso materno coração. Novamente voltemos nossos olhares para a Imagem de nossa Excelsa Padroeira, para que como filhos dessa paróquia, possamos crescer na unidade, vivendo na Esperança indo ao encontro da verdadeira Vida.

(Das mãos da comunidade podem vir as flores, prendas, gestos de carinho.)

P. Ó Senhora Sant’Ana, avó da Esperança, rogai por nós, estendei sobre nós vosso olhar, e daí-nos vosso alento maternal, juntamente com São Joaquim, vosso digníssimo esposo. (Pode-se pedir a comunidade que faça seu pedido no momento de silêncio)
T. Oração na página 04
11.              Agradecimentos, convidar os participantes para comparecerem durante toda a novena, anunciar os animadores de amanhã.




4º DIA DA NOVENA – 18 DE JULHO
Convidados: Comunidade Nossa Senhora do Rosário do Pompéia, Núcleo São Miguel Arcanjo das Moradias Santana, Pastoral dos Acólitos e Coroinhas da Paróquia.
Tema: Santa Ana, Senhora dos humildes e abandonados.


1.  Acolhida
(procissão de Entrada)

2.  Saudação Litúrgica
P: Demos graças ao Senhor porque ele é bom. Felizes os que buscam seu auxílio e nele se refugiam, pois encontram a vida e sua misericórdia que não tem fim.
T.: Demos graças ao Senhor porque ele é bom, é nossa força, nosso refúgio e proteção!  
P: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
T.: Amém, agora e pelos séculos dos séculos!

3.  Nome dos(as) padroeiros(as) Vem ao encontro de Santa Ana

(Entronização e incensação da Imagem. Logo após, faz-se a contemplação que segue. Durante a incensação, silêncio orante.)
P: Salve senhora Sant’Ana, esposa de São Joaquim, sois a mãe da mesma criatura escolhida por Deus para nos trazer Jesus.
T: E nós vos damos nossa honra, pois Deus deixou de comunicar tão grande graça no templo de Jerusalém, para entrar na tua casa por meio do Arcanjo São Gabriel e pedir a vossa filha o seu consentimento para realizar a Obra. 
P: Santa Ana, é bom confiar em vosso amor maternal. Ele nos traz alento e nos faz enxergar a vida com mais esperança,
T: Pois vós estais ao nosso lado, enquanto caminhamos em unidade nesta paróquia que vos tem como guardiã e porteira do céu.
P: A vida é mesmo exigente, mas a certeza do amor clemente, bendito e salvador de Jesus não nos deixa desanimar ou perecer
T: E jamais nos sentimos abandonados, pois nos acompanhais com o vosso neto Jesus!

Leitor: Tudo é belo, ó Santa Ana e São Joaquim, pois há poetas e poesias, há vida doada e muita generosidade dos que não têm medo de dizer sim, como vós dissestes,
T: Mas não podemos fechar os olhos à realidade dos que estão abandonados,
Leitor: Por causa das injustiças e da corrupção, do jogo de interesses e degradação dos valores maiores da vida.
T: Pedi a Jesus que forme nossa consciência nos valores do Evangelho e não nos deixei perecer na dura travessia desta vida!
Leitor: Socorrei-nos, ó Santa Ana, e que o vale sem claridade, de pranto e de gemido, não impeça de caminhar atentos, de cabeça erguida, pois sois nossa Padroeira, que tanto amamos e queremos bem.
T: E foi na casa de Santa Ana que brotou o ramo de Jessé, cresceu e espalhou por toda a terra seus ramos de misericórdia. Amém!

4.  Com Santa Ana a Cristo
(Súplicas)
P: Senhora Sant’Ana, vós sabeis o que se passa em nossa paróquia. Sabeis de nossa sinceridade e se, em nossas intenções, somos verdadeiros. Sois mãe daquela que é genitora dos pequenos e humildes, sois sinal da simplicidade de Deus, volvei para nós vosso olhar intercessor, e convosco vamos caminhar na esperança de ver surgir, em todos os cantos da terra,
T: Educai-nos, ó mãe, no caminho de Jesus, e que todos alcancemos a paz de espírito e a salvação. Pois, como Avó de Jesus, é o que vós desejais. Amém.

– Ladainha de Santa Ana  (Pág. 5)

P: Senhor Deus, vosso Filho assumiu nossa condição humana e nos ensinou “tudo o que fizestes a estes pequeninos, a mim o fizestes”. Confirmai-nos na vida de fé, de caridade e de esperança, e sejam os humildes e abandonados
T: A quem vamos socorrer sem demora, pois esse é vosso desejo e também de vossa serva Santa Ana. Amém.

5.  Palavra de Deus
P: Quem já viveu sabe que o amor chega primeiro porque é o gerador da vida.
T: A Palavra do Senhor nos educa no caminho do amor!
P: Felizes os que têm os mesmos sentimentos de Jesus,
T: São luzeiros no firmamento que nos indicam qual caminho seguir!
P: A Palavra de Jesus nos faz acolhedores dos humildes e abandonados, dos que estão à beira do caminho,
T: Como o cego Bartimeu, que Jesus acolheu e libertou. Amém!
(Entronização da Palavra de Deus)

Cântico à Palavra de Deus
Anúncio – Cristo Humilhado – Fl 2, 5-11  (não usar o inceso)

Irmãos: 
Tende entre vós o mesmo sentimento 
que existe em Cristo Jesus. 
Jesus Cristo, existindo em condição divina, 
não fez do ser igual a Deus uma usurpação, 
mas ele esvaziou-se a si mesmo, 
assumindo a condição de escravo 
e tornando-se igual aos homens. 
Encontrado com aspecto humano, 
humilhou-se a si mesmo, 
fazendo-se obediente até a morte, e morte de cruz. 
Por isso, Deus o exaltou acima de tudo 
e lhe deu o Nome que está acima de todo nome. 
Assim, ao nome de Jesus, 
todo o joelho se dobre no céu, 
na terra e abaixo da terra, 
e toda língua proclame : 
'Jesus Cristo é o Senhor' 
- para a glória de Deus Pai. 
Palavra do Senhor. 

6.  Mensagem

Contemplando a misericórdia
P. Voltemos nosso olhar para o Deus da vida porque Ele volve a nós seu coração misericordioso e de nós tem compaixão,
T. Pois não se esquece de que somos sua imagem e semelhança e amados filhos seus!

Leitor: Como é bom, Senhor, sabermos que vós nos amais. Vós nos destes a vida e, mesmo em nossa ingratidão,
T: Vós não mudais vossa atitude amorosa e nos ofereceis vossa misericórdia!
Leitor: Vós nos amais tanto que nos dizeis: “Quem vos toca, toca a menina dos meus olhos” (Zc 2, 12).
T: Como poderemos nos esquecer de um Deus que nos ama tanto assim?
P. Vós esperais que também sejamos misericordiosos. Há famílias sem pão, jovens inseguros em seu futuro, há irmãos e irmãs vivendo nas ruas e praças, sem casa, sem parente, jogados à própria sorte.
T. Seremos misericordiosos se formos irmãos e irmãs dos mais abandonados. Amém!


7.  Oferta de flores e donativos

P: Senhor Deus, que bom seria se pudéssemos voltar a Belém, à Casa do Pão, e contemplar de novo o presépio, onde vosso Filho nasceu.
T: Iríamos compreender que já pequenino se colocava ao lado dos humildes e abandonados,

L: Pois Ele mesmo já havia experimentado o que é ser desprezado numa cidade tão agraciada pelo nascimento dele, mas vosso divino Filho, neto de Santa Ana e São Joaquim não foi recebido. 
T: Na “Casa do Pão”, que é Belém, não poderia faltar a partilha da vida e do acolhimento também!
L: O altar é presépio, é calvário e ressurreição, é fonte de vida, é libertação e dele nos vem o Pão verdadeiro que se dá por amor e para nossa salvação.
 T: Vinde, Senhor Jesus, vinde nos alimentar e devolver a vida aos humildes e abandonados! Acolhei nossas ofertas e flores, ó Santa Ana, como acolhestes Jesus em vossa família e entregai a Deus, para que ninguém saia daqui sem vosso conforto e a benção da Trindade.

Canto do ofertório

Oração A Santa Ana
(O presidente convida os fiéis a fazerem seus pedidos silenciosos a padroeira)
Prece para todos os dias: Oração na página 04
8.  Benção do Santíssimo Sacramento (pág. 7)

9.  Agradecimentos, convidar os participantes para comparecerem durante toda a novena, anunciar os animadores de amanhã.




5º DIA DA NOVENA – 19 DE JULHO
Convidados: Comunidade Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, Comunidade São José, Pastoral do Batismo.

Tema: Santa Ana, auxílio da Igreja.


1.  Acolhida
(procissão de Entrada)

2.  Saudação Litúrgica
P: Bendito seja o Senhor, que não poupou seu único Filho para nos socorrer e nos salvar em sua misericórdia.
T.: Bendito seja o senhor, que ouve o clamor de seu povo sofredor e o socorre em sua misericórdia!
P: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
T.: Amém, agora e pelos séculos dos séculos!

3.  Nome dos(as) padroeiros(as) Vem ao encontro de Santa Ana

(Entronização e incensação da Imagem. Logo após, faz-se a contemplação que segue. Durante a incensação, silêncio orante.)

P: Ó bendita e venerável, senhora Sant’Ana, esposa de São Joaquim, sois nosso auxílio e intercessora de toda a Igreja, nossa paróquia vos bendiz e venera,
T: Vós sois a força e presença materna juntos de nós, que peregrinamos no meio de sonhos, de lutas e de gemidos,
P: Santa Ana, vós fostes beneficiada pelo anúncio do Reino feito por Jesus, vosso Neto, e também tua casa foi mais importante que o Templo do Oriente, se tornou por antecipação um Cenáculo, quando o Espírito Santo ali entrou para deixar o Salvador no ventre de Maria,
T: Inspirai-nos no anúncio do Evangelho e no dom da profecia em nossos dias!

Leitor: Ó Senhora Sant’Ana, vós fostes escolhida entre todas as famílias de Israel, e em Nazaré, pudestes sentir a surpresa de Deus pelo Anjo Gabriel que entrou na tua casa e saudou a Maria: “Ave, ó cheia de graça”.
T: E nós corremos até vós, pois somos a Igreja e precisamos de vosso auxílio!
Leitor: Vossas mãos apontadas para o Livro da Lei nos amparam, ó avó de Jesus, pois colocais vosso povo no coração de Deus
T: E ele pode contar com vosso abrigo sem medida e em qualquer lugar!
Leitor: Dai-nos a coragem e a ousadia que vós tivestes, vivendo a vida na radicalidade, apostando na verdade do Deus de poder.
T: E foi na casa de Santa Ana que brotou o ramo de Jessé, cresceu e espalhou por toda a terra seus ramos de misericórdia. Amém!

4.  Com Santa Ana a Cristo
(Súplicas)
P: Ó mãe, estendei-nos vossas mãos e entrelaçai-nos em vosso amor e na verdade de Deus. Como acolhestes Jesus em vossa família, acolhei nossos rogos, juntamente com São Joaquim.
T: Santa Ana, vosso amor acolhe os que vos procuram com sinceridade de coração, porque a senhora tem amor de mãe, de uma mãe que tem fé! Amém.

– Ladainha de Santa Ana (Pág. 5)

P: Ó Pai, vós adornastes Santa Ana e São Joaquim com o diadema da paz e da santidade, da disponibilidade serviçal e do amor sempre pronto e humilde. Tocai nossa existência para que mudemos muitas de nossas atitudes, às vezes, tão pequenas e que ferem nosso ser cristão.
T: Sim, Senhor, queremos mudar nosso modo de ser e contamos com vossa misericórdia. Amém.

5.  Palavra de Deus
P: Ressoa no meio da humanidade, suave e agradável, a voz da eternidade: a Palavra do Senhor;
T: E Maria, filha de Santa Ana, foi a portadora da Palavra viva que é Jesus, o Senhor da nova eterna Aliança!
P: De dentro de nós, deveria nascer uma alegria sem medida, que nosso peito não poderia conter:
T: A alegria de saber que o Pai entre nós realizou a História da salvação!
P: Antes era só o silêncio; depois ecoou entre nós a voz que veio da eternidade. E, na plenitude dos tempos, a Palavra fez-se Pessoa, que, se chama Jesus Cristo, o Senhor de toda a história.
T: Bendito seja o Pai, que nos reuniu no amor de Cristo e que fez de nós sua Igreja! Amém!

(Entronização da Palavra de Deus)

Cântico à Palavra de Deus
Anúncio – Jesus e Pedro – Mt16, 13-19 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.
Naquele tempo, chegando ao território de Cesaréia de Filipe, Jesus perguntou a seus discípulos: “No dizer do povo, quem é o Filho do Homem?”
Responderam: “Uns dizem que é João Batista; outros, Elias; outros, Jeremias ou um dos profetas”. Disse-lhes Jesus: “E vós quem dizeis que eu sou?”
Simão Pedro respondeu: “Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo!”
Jesus então lhe disse: “Feliz és, Simão, filho de Jonas, porque não foi a carne nem o sangue que te revelou isto, mas meu Pai que está nos céus.
E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela.
Eu te darei as chaves do Reino dos céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus”.
Palavra da Salvação.

6.  Mensagem

Contemplando a misericórdia
P. Ó Senhora Sant’Ana, vós sois avó da Misericórdia e estais ao nosso lado, principalmente dos mais necessitados.
T. Nós contemplamos vossa bondade, pois caminhamos para a eternidade, e vós nos amparais com o teu auxílio.

Leitor: Senhor, vós que nos manifestastes vossa misericórdia em vosso Filho, daí-nos a certeza da salvação. O que mais poderemos desejar? Só vosso amor misericordioso nos basta!
T: Deus nos ama e tem um amor sem-fim por nós!
Leitor: De Santa Ana aprendemos o amor reverente e a suave familiaridade com que devemos tratar com Jesus e Maria; nossa vida deve ser uma vida íntima com eles, uma vida que não se aprende nos livros, mas na oração.
T: Junto do Senhor é abundante a redenção e nada nos separará de seu amor sem-fim! Amém!
P. Queremos agradecer-vos, Senhor, por terem sido escolhidos para continuar na Igreja o espírito e a missão de São Joaquim e Santa Ana, todos os avós cristãos.
T. Seja sempre bendito Aquele que vem em nome do Senhor. Hosana nas alturas!

7.  Oferta de flores e donativos

P: Bendita seja a terra que produz tão belas criaturas, as flores, os cravos e os jasmins, frutos do amor Criador, que silenciosa e belamente se erguem nos jardins das praças, das casas e dos casebres, e que agora oferecemos a Santa Ana,
T: E exalam o perfume do amor do Criador, que nos encanta com sua beleza e ternura!
P: Sejam benditas as mãos que trazem rosas, mãos do pai que luta para ganhar o pão e da mãe que afaga o filho na hora mais aguda; e dos que labutam em favor da vida.
T: Seja, ó Santa Ana, nossa alma um jardim florido de alegria, de esperança e de fé em nosso Senhor!

Canto do ofertório
Oração para todos os dias (Pág. 4)

8.  Benção do Santíssimo Sacramento (pág. 7)

9.  Agradecimentos, convidar os participantes para comparecerem durante toda a novena, anunciar os animadores de amanhã.















6º DIA DA NOVENA – 20 DE JULHO
Convidados: Comunidade Cristo Ressuscitado, Comunidade Nossa Senhora Aparecida, Ministros Extraordinários da Eucaristia de toda a Paróquia.

Tema: Santa Ana, amparo dos sofredores.


1.  Acolhida
(procissão de Entrada)

2.  Saudação Litúrgica
P: Ó luz divina, brilhai, tirai-nos das trevas da indiferença; nosso alento despertai, e chegue até vós nosso louvor; Senhor de eterna misericórdia.
T.: Bendito seja o Senhor, que nos ampara sob as asas de sua misericórdia e de seu amor que não tem fim.
P: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
T.: Amém, agora e pelos séculos dos séculos!

3.  Nome dos(as) padroeiros(as) Vem ao encontro de Santa Ana

(Entronização e incensação da Imagem. Logo após, faz-se a contemplação que segue. Durante a incensação, silêncio orante.)
P: Nós vos saudamos, ó mulher virtuosa, volvei-nos no olhar de cristo, tão sereno e forte,
T: Que vós cuidastes e que amastes com terno amor maternal.
P: Em Maria, o Pai olhou para a tua casa e te deu a nobre missão de ser a avó de Jesus, o Filho eterno, para nossa redenção.
T: No Verbo eterno do Pai, estão o sentido da vida e nossa salvação!
P: Vós, como mãe da nossa Mãe, recordai-nos que também fomos escolhidos, pois somos os frutos do amor do Pai, que nos chamou à vida como seus filhos e filhas.
T: Bendito seja o Senhor que nos deu a vida por seu amor!

Leitor: A face de vosso Neto Jesus resplandece no rosto dos sofredores, dos que precisam de amparo. São homens e mulheres, são jovens e crianças, que vagueiam pelas ruas e praças de nossas cidades.
T: Não são belos E nós corremos até vós, pois somos a Igreja e precisamos de vosso auxílio!
Leitor: Pois é preciso estender a mão e reerguer quem está caído ou à beira do caminho. São misericordiosos os que aprenderam fazer-se irmão do abandonado, que precisa de proteção.
T: Fazei-nos apressados no amor, ó Santa Ana, para servir quem espera a ajuda do cristão!E ele pode contar com vosso abrigo sem medida e em qualquer lugar!
Leitor: Despertai nossa consciência para a prática da misericórdia, para não passarmos apressados por perto dos sofredores e abandonados à igreja.
T: pois resmplandece no rosto do sofredor a face do Cristo, nosso Redentor! Amém!

4.  Com Santa Ana a Cristo
(Súplicas)
P: Santa Ana, o rosto dos sofredores é o rosto sofredor de vosso Jesus. Precisamos de vosso auxílio! Vós não aprovais as atitudes humanas que geram dor, sofrimento e morte. Estendei-nos vossas mãos e o vosso olhar e amparai-nos.
T: Santa Ana, atraí toda esta paróquia para Cristo, nosso único e suficiente Salvador.

– Ladainha de Santa Ana (Pág. 5)

P: Santa Ana e São Joaquim, vosso Jesus já nos lembrou de que “o que fizerdes ao menor de meus irmãos é a mim que o fazeis” (Mt 25, 40). Fazei com que nosso coração seja carregado de ternura e compaixão e revesti-nos de vosso jeito de amar e servir,
T: Pois assim faremos brilhar a face de Cristo, na face de cada irmão e irmã! Amém.

5.  Palavra de Deus

P: Bendita seja a Palavra do Pai,
T: Que nos revela seu amor e sua misericórdia!
P: É Jesus a Palavra viva, verdade que nos guia e nos ilumina na prática da justiça.
T: Ele é o Caminho, a Verdade e a vida (Jo 14, 6)
P: Sua Palavra nos fortalece na esperança e nos faz solidários e fraternos,
T: Liberta-nos e nos educa no caminho do amor e da misericórdia! Amém!

(Entronização da Palavra de Deus)

Cântico à Palavra de Deus
Anúncio – Julgamento divino – Mt 25, 34-40 

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos:
Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita:
`Vinde benditos de meu Pai!
Recebei como herança o Reino que meu Pai vos preparou
desde a criação do mundo!
Pois eu estava com fome e me destes de comer;
eu estava com sede e me destes de beber;
eu era estrangeiro e me recebestes em casa;
eu estava nu e me vestistes;
eu estava doente e cuidastes de mim;
eu estava na prisão e fostes me visitar'.
Então os justos lhe perguntarão:
`Senhor, quando foi que te vimos com fome
e te demos de comer?
com sede e te demos de beber?
Quando foi que te vimos como estrangeiro
e te recebemos em casa,
e sem roupa e te vestimos?
Quando foi que te vimos doente ou preso,
e fomos te visitar?'
Então o Rei lhes responderá:
`Em verdade eu vos digo,
que todas as vezes que fizestes isso
a um dos menores de meus irmãos,
foi a mim que o fizestes!'
Palavra da Salvação.

6.  Mensagem

Contemplando a misericórdia
P. Jesus, vós nos ensinastes que os misericordiosos terão seu lugar no coração do Pai. Eles sabem que a vida é para ser partilhada, como vós fizestes. Ser misericordioso é:  
T. Partilhar a vida, socorrer os necessitados, amar sem esperar nada em troca!

Leitor: Há irmãos e irmãs que estão à margem da vida porque há palácios indignos e líderes sem consciência e sem amor à justiça e à dignidade da criatura humana e não sabem da grandeza
T: Que é enxugar a face do irmão sofredor e da irmã excluída!
Leitor: Como a águia que das alturas alveja sua presa, vós esperais que aprendamos a olhar para os sofredores no mundo. Nossos cantos e canções devem ser a mais bela melodia de exaltação da vida.
T: Da solidariedade para com os sofredores, carregada da mesma atitude do Bom Samaritano!
P. Senhor, por vosso Evangelho reconhecemos que o amor é o caminho da vida e da realização humana. Para quem ama, a hora é preciosa quando se faz solidário com o necessitado e o sofredor. Quem revela assim seu amor conquista vosso coração divino.
T. Santa Ana, ajudai-nos a conquistar o coração de Cristo, sendo misericordiosos e solidários. Amém!

7.  Oferta de flores e donativos

P: Senhora Sant’Ana, vós vos assentais à Mesa do Reino e nos ensinais a compartilhar a vida com os sofredores,
T: Pois sofrestes com Jesus as injúrias e o desprezo de quem não quer chegar ao céu.
P: Vosso Jesus identificou-se com os pobres e deles se aproximou para lhes perdoar e os libertar, para devolver-lhes a dignidade e a paz.
T: Só participa da festa do amor quem com amor se dedica aos pobres e a Deus!

Canto do ofertório

Oração A Santa Ana
(O presidente convida os fiéis a fazerem seus pedidos silenciosos a padroeira)
Prece para todos os dias: (Pág. 4)

                        
8.  Benção do Santíssimo Sacramento (pág. 7)

9.  Agradecimentos, convidar os participantes para comparecerem durante toda a novena, anunciar os animadores de amanhã.











7º DIA DA NOVENA – 21 DE JULHO
Convidados: Comunidade Santa Rita e seus Núcleos, Alunos da Escola da Fé e Pastoral da Catequese
Tema: Santa Ana, mãe Missionária.


1.  Acolhida
(procissão de Entrada)

2.  Saudação Litúrgica
P: Louvemos e invoquemos o Senhor, pois Ele se põe a nos escutar e a nos libertar de todo cativeiro e escravidão, porque ele é o Senhor da Misericórdia.
T.: Bendito seja o Senhor, que é bom, e sem-fim sua misericórdia!
P: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
T.: Amém, agora e pelos séculos dos séculos!

3.  Nome dos(as) padroeiros(as) Vem ao encontro de Santa Ana

(Entronização e incensação da Imagem. Logo após, faz-se a contemplação que segue. Durante a incensação, silêncio orante.)
P: Salve senhora Sant’Ana, que também chamamos de padroeira, mulher a nós tão carinhosa. Sois a avó do belo Amor, o Senhor Misericordioso.
T: Contemplamos vossa grandeza, que está na vossa humildade e santidade!
P: Fostes, juntamente com São Joaquim, a fiel servidora do Reino do Senhor, pois cheia de prontidão vos dispusestes a cumprir sua vontade
T: E acolhestes, em vossa casa o Anjo vindo do Céu, trazendo consigo a manifestação do Espírito, fecundando em Maria, carne de tua carne, o Verbo eterno de Deus.
P: No sublime gesto de Nossa Senhora, logo após a Anunciação, de partir apressadamente para a casa de Isabel, vós fazei lembrar, todos os dias, que sua casa foi mais importante do que o Santo dos Santos do Templo de Jerusalém, pois ali estava mãe e Filho, debaixo do amparo vosso, antes do casamento virginal de Maria e José.
T: Sacramento do Reino de Deus, que Jesus entre nós estabeleceu.
Leitor: Sois a genitora da Senhora e Mãe Missionária, pois não ficastes apenas como mais uma avó judia de seu tempo, mas acolhestes a missão de vossa filha em viver a maternidade divina.
T: E vos pusestes a servir a quem naquela hora mais necessitava!
Leitor: Sois feliz, ó Santa Ana, porque acreditastes, como também Isabel, que se alegrou ao receber em sua casa a Mãe do seu Senhor.
T: É missão do cristão anunciar com alegria o Evangelho da vida, pois só nele encontramos a salvação!
Leitor: Ó Santa Ana e São Joaquim, com vossos olhares piedosos e carregados de misericórdia, inspirai a Igreja para que seja fiel à sua missão,
T: E todo o povo cristão se alegre em receber a Boa-Nova da vida e da libertação. Amém!


4.  Com Santa Ana a Cristo
(Súplicas)
P: Senhora Sant’Ana, que nos escutais e vos alegrais quando confiamos verdadeiramente em vosso Neto, ouvi a nós que agora clamamos vosso apoio e intercessão.
T: Ouvi o clamor dos pobres, ó Raiz de Jessé, e dos que suplicam vossa presença e proteção!

– Ladainha de Santa Ana (Pág. 5)

P: Senhor Deus, vós que estais batendo à porta de nosso coração, por meio do Evangelho de vosso Filho, entrai em nossa vida, na vida da Igreja e de nossas Comunidades e fazei-nos compreender que é preciso partir em missão
T: E, com Santa Ana, proclamar, sem receio algum, a Boa-Nova da redenção! Amém!  


5.  Palavra de Deus
P: O Verbo eterno do Pai veio nos revelar o mistério do amor infinito
T: E o jeito que devemos ser e viver como cristãos!
P: São felizes os pequeninos e os humildes,
T: A quem o Senhor revelou seu amor!
P: Cristo nos revelou o amor do Pai e nos fez compreender o sentido de nossa existência, pois fomos feitos à sua imagem e semelhança.
T: E isso se realizou porque o Senhor é amor e quis nos plenificar em sua misericórdia! Amém!

(Entronização da Palavra de Deus)
Cântico à Palavra de Deus
Anúncio – Revelação do Senhor Mt 11, 25-30

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, Jesus exclamou: 
«Eu Te bendigo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, 
porque escondeste estas verdades aos sábios e inteligentes 
e as revelaste aos pequeninos. 
Sim, Pai, Eu Te bendigo, 
porque assim foi do teu agrado. 
Tudo Me foi dado por meu Pai. 
Ninguém conhece o Filho senão o Pai 
e ninguém conhece o Pai senão o Filho 
e aquele a quem o Filho o quiser revelar. 
Vinde a Mim, 
todos os que andais cansados e oprimidos, 
e Eu vos aliviarei. 
Tomai sobre vós o meu jugo 
e aprendei de Mim, 
que sou manso e humilde de coração, 
e encontrareis descanso para as vossas almas. 
Porque o meu jugo é suave e a minha carga é leve».
Palavra da salvação.


6.  Mensagem

Contemplando a misericórdia
P: Senhor, como é sublime o gesto de erguer os braços com um candeeiro em noite escura para iluminar os passos de quem caminha.
T: É gesto solidário, é gesto de amor de quem não olha para si, mas para o irmão!

Leitor: Vós estais de braços estendidos e vos aproximais de nós para nos acolher em cada hora do dia,
T: Pois sois misericórdia sem-fim!
Leitor: Rompestes o tempo e a história, viestes para o meio de nossa humanidade em vosso Filho, neto de Santa Ana. Ele aproximou-se dos pobres e dos humildes, dos doentes e pecadores,
T: E a todos fez viver de novo por causa de vossa misericórdia!
P: Senhor, vossa misericórdia leva-nos para além do tempo e do espaço e nos faz mergulhar na eternidade, pois vós nos contemplais com vosso olhar tão pleno de vida para nos reerguer de nossas próprias misérias.
T: Obrigado, Senhor, por vossa misericórdia, que faz viver vossos filhos e filhas. Amém!




7.  Oferta de flores e donativos

P: Com as “armas no chão, as flores na mão”, o cristão caminha para a vida e para a paz, com Deus e Nossa Senhora no coração. As flores na mão são mais fortes que as armas da destruição,
T: Pois desarmam poderosos e soberbos de seus tronos de ilusão!
P: As mãos de Santa Ana apostadas para o Livro da Lei constroem a vida e eleva a paz, que esperamos que aconteça em todas as nações.
T: Caminhamos juntos, sem ódio ou divisão, pois esse é o desejo de Jesus, nosso irmão!
P: Mãos de Santa Ana, mãos da mulher simples de Nazaré, da mulher do casebre, da favela, dos prédios e dos condomínios, mãos que sabem construir a vida, o sonho e a paz.
T: Acolhei nossas ofertas e flores, ó Santa Ana, como acolhestes Jesus em vossa família e entregai a Deus, para que ninguém saia daqui sem vosso conforto e a benção de Deus.

Canto do ofertório
Oração A Santa Ana
(O presidente convida os fiéis a fazerem seus pedidos silenciosos a padroeira)
Prece para todos os dias: (Pág. 4)
           

8.  Benção do Santíssimo Sacramento (pág. 7)

9.  Agradecimentos, convidar os participantes para comparecerem durante toda a novena, anunciar os animadores de amanhã.





8º DIA DA NOVENA – 22 DE JULHO
Convidados: Comunidade Sagrado Coração de Jesus, Comunidade São Francisco e Movimento das Capelinhas.
Tema: Santa Ana, Senhora e avó da Igreja Peregrina.

Celebração Penitencial – Novena Modificada
1.  Acolhida
(procissão de Entrada)

2.  Saudação Litúrgica
P: Busquemos nosso refúgio no Senhor. Ele nos ampara em sua bondade, faz brilhar o sol e a lua, os astros e estrelas, pois é nosso Deus misericórdia.
T.: O Senhor é nossa força; nele está nossa segurança, e não nos poderosos do mundo, porque sem-fim é sua misericórdia.
P: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
T.: Amém, agora e pelos séculos dos séculos!

3.  Nome dos(as) padroeiros(as) Vem ao encontro de Santa Ana

(Entronização e incensação da Imagem. Logo após, faz-se a contemplação que segue. Durante a incensação, silêncio orante.)
P: Senhora Sant’Ana, hoje vos louvamos agradecidos. É festa na terra, é festa no céu. Não uma festa qualquer, mas a da certeza do amor de Deus por nós, da qual vossa família foi protagonista, pois nos deram Jesus.
T: A alegria do Senhor é nossa santificação, e a ele louvamos com toda a forma de nosso coração!
P: Santa Ana, somos o povo do Senhor, a Igreja peregrina. Caminhamos na esperança. E vós sussurrais em nosso ouvido: Não desanimeis jamais!
T: Unidos na fraternidade, caminhamos na fé em Cristo, unidos com Maria na Comunidade!
P: Nossos hosanas cheguem aos céus e a todos os cantos e recantos, aos casebres e aos palácios e a cada coração humano, pois o Senhor não abandona o seu povo.
T: Somos gente da esperança, caminhamos para a luz, que é vida em abundância  e que nunca se apagará!

Leitor: Ó Santa Ana, a ciência e a tecnologia nos trazem muitos benefícios. O que ajuda a vida é do querer de Deus, Mas, não nos deixeis pensar que elas tudo podem, ou querer que elas sejam nosso “deus”.
T: Nada é capaz de anular o desejo de Deus, mas ele só pode se realizar por meio dos filhos seus!
Leitor: Vossas mãos apontadas para o Livro da Lei nos amparam, ó avó de Jesus, pois colocais vosso povo no coração de Deus
T: E ele pode contar com vosso abrigo sem medida e em qualquer lugar!
Leitor: Ó Santa Ana e São Joaquim, com vossos olhares piedosos e carregados de misericórdia, inspirai a Igreja para que seja fiel à sua missão,
T: Estendei sobre esta paróquia vossas mãos benditas e guiai-nos no caminho de Jesus. Amém!  

4.  Com Santa Ana a Cristo
(Súplicas)
P: Senhora Sant’Ana, não queremos a esperança dos injustos, que é como fumaça espalhada pelo vento. Queremos a esperança dos justos, que vivem para sempre, pois Deus está com eles.
T: Somos a Igreja da esperança. Pois nossa fé está fundada na pessoa de Jesus, nosso Salvador!
– Ladainha de Santa Ana
Oração A Santa Ana
(O presidente convida os fiéis a fazerem seus pedidos silenciosos a padroeira)
Prece para todos os dias: (Pág 4)

P: Senhor Deus, não nos deixeis faltar vossa misericórdia. Sem a certeza de vosso amor misericordioso para com vosso povo, “para onde iremos, Senhor?” Santa Ana, guiai-nos em cada dia no caminho de Jesus.
T: Intercedei por nós, para que a apatia e acomodação sejam tiradas de nosso meio e fazei-nos perseverantes na humildade junto de Jesus! Amém!

5.  Palavra de Deus

Cântico à Palavra de Deus

6.  Mensagem

7.  Agradecimentos, convidar os participantes para comparecerem durante toda a novena, anunciar os animadores de amanhã.



























9º DIA DA NOVENA – 23 DE JULHO
Convidados: Nossa Senhora do Rocio e São João Batista, Pastoral do Dízimo, Pastoral da Juventude e Movimentos Jovens.
Tema: Santa Ana, Modelo para a Juventude.

Missa da Novena

1.  Acolhida
(Procissão de Entrada)

2.  Saudação litúrgica

P. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
T. Amém!

P. A graça de Nosso Senhor Jesus...
(Antes do Ato Penitencial, faz-se uma pequena monição para a recepção das Imagens dos Padroeiros, e incensação da Imagem de Santa Ana).

3.  Ato Penitencial
4.  Hino de Louvor
5.  Liturgia da Palavra

6.  Preces

P. Senhor, Santa Ana chamou esta paróquia para viver em comunhão durante esta Novena. Também desejais que sejamos capazes de ser Comunidade onde o amor, fraternidade e solidariedade encontrem seu motivo de existir. Nos voltemos para a Imagem de Santa Ana para que, por meio de suas preces, possamos ser dignos das promessas de Deus.

Ladainha de Santa Ana (Pág. 5)

P. Senhor, Nosso Deus, vosso Filho, que enfrentou os desafios de seu tempo, ajude-nos a fazer do tempo de agora, com a ajuda de Santa Ana, nossa Excelsa Padroeira, uma nova aurora de esperança, para que vivamos a linguagem do amor, da paz e da verdadeira libertação. Por Cristo, Senhor Nosso!
T. Amém!

7.  Ofertório
(Nas mãos da comunidade venham as Âmbulas e o Vinho, alimentos para os pobres)

8.  Oração Eucarística
9.  Rito da comunhão

10.              Ação de Graças pós-comunhão

Breve comentário:
Novamente voltemos nossos olhares para a Imagem de nossa Excelsa Padroeira, para que como filhos dessa paróquia, possamos crescer na unidade, vivendo na Esperança indo ao encontro da verdadeira Vida.
(Das mãos da comunidade podem vir as flores, prendas, gestos de carinho.)

P. Ó Senhora Sant’Ana, avó da Esperança, rogai por nós, estendei sobre nós vosso olhar, e daí-nos vosso alento maternal, juntamente com São Joaquim, vosso digníssimo esposo. (Pode-se pedir a comunidade que faça seu pedido no momento de silêncio)
T. Rezar a oração para todos os dias na página 04

11.              Agradecimentos, convidar os participantes para comparecerem durante toda a novena, anunciar os animadores de amanhã.






SOLENIDADE DE SANT’ANA

Comentário Inicial
  Irmãos e irmãs, sejam todos bem vindos a esta solene celebração. Com alegria acolhemos todas as Comunidades, Movimentos e Pastorais. Estamos na igreja mãe de nossa paróquia para bendizer, louvar, adorar e pedir a Deus neste dia em que temos mais uma oportunidade de celebrar a nossa Padroeira. Sant’Ana e São Joaquim pertenciam ao grupo daqueles judeus piedosos que esperavam a consolação de Israel, e precisamente a eles foi dada uma tarefa especial na história da salvação: foram escolhidos pelo Senhor, para serem os pais biológicos de Nossa Senhora que, por sua vez, é chamada a gerar o Filho de Deus. Mãe e filha estavam unidas não apenas por laços familiares, mas também, pela comum expectativa do cumprimento das promessas da vinda de Jesus, pela recitação multiforme dos Salmos e pela evocação de uma vida entregue a Deus.
  Nesta Santa Eucaristia somos convidados a tomar como modelo de santidade para nossas vidas a nossa Excelsa Padroeira, juntamente com o nosso co-padroeiro São Benedito. Sant’Ana foi uma Mulher virtuosa, sábia e prudente. Agiu em tudo, segundo o coração de Deus. O próprio Jesus recebeu em seu corpo o sangue herdado de Santa Ana e São Joaquim. Aqui está o motivo de nos alegrar-nos! A intenção especial dessa Solene Liturgia será por todos aqueles que colaboram com o Serviço de Evangelização de nossa Paróquia. De pé, iniciemos nossa Eucaristia, cantando:






HINO OFICIAL DA PADROEIRA

Senhora doce e clemente,
Avó da Graça e do Perdão,
Abrigai-nos docemente
Dentro em vosso coração (bis).


Salve, Sant’Ana gloriosa,
nosso amparo e nossa luz
Salve, Sant’Ana ditosa,
Terno afeto de Jesus (bis).


Vossos filhos desta terra
vos suplicam que sejais
o seu refúgio na guerra
e sua alegria na paz (bis).


Ø Procissão de Entrada (com o Evangeliário)
Ø Ritos Iniciais (Saudação Inicial)
Ø Entrada dos Padroeiros (o presidente da celebração motiva a comunidade para receber as Imagens que vêm com os avós. Aqui apresentam-se as intenções da Missa)
Ø Ato Penitencial
Ø Hino de Louvor
Ø Oremos

LITURGIA DA PALAVRA

A Palavra de Deus nos convida a contemplar e louvar as maravilhas do Senhor, porque homens e mulheres foram levantados para colaborarem com o Plano Divino da Salvação. Porém, nem todos viram o “Dia que o Senhor fez para nós”, enviando Jesus na família de Sant’Ana e São Joaquim. Atentos, ouçamos:

Primeira Leitura  Eclo 44,1.10-15

Leitura do Livro do Eclesiástico.
 Vamos fazer o elogio dos homens famosos, nossos antepassados através das gerações. Estes, são homens de misericórdia; seus gestos de bondade não serão esquecidos.  Eles permanecem com seus descendentes; seus próprios netos são sua melhor herança.  A descendência deles mantém-se fiel às alianças,  e, graças a eles, também os seus filhos. Sua descendência permanece para sempre, e sua glória jamais se apagará. Seus corpos serão sepultados na paz e seu nome dura através das gerações.  Os povos proclamarão a sua sabedoria, e a assembleia vai celebrar o seu louvor.
- Palavra do Senhor.

Salmo 134 (135)

Louvemos a São Joaquim e Santa Ana, pais da Virgem Maria Mãe de Deus,
Por eles veio a Benção prometida a todos os povos!

3 O vosso nome, Senhor, permanece para sempre, *
a vossa lembrança passa de geração em geração.

14 O Senhor defende o seu povo *
e tem compaixão dos seus servos.

19 Casa de Israel, bendizei o Senhor, *
casa de Aarão, bendizei o Senhor,

20 casa de Levi, bendizei o Senhor, *
vós que temeis o Senhor, bendizei o Senhor.

8 Bendito seja o Senhor em Sião, *
Ele que habita em Jerusalém.

Segunda Leitura: 1 Pedro 1,8-12

Leitura da primeira carta de são Pedro – Caríssimos, 8sem ter visto o Senhor, vós o amais. Sem o ver ainda, nele acreditais. Isso será para vós fonte de alegria indizível e gloriosa, 9pois obtereis aquilo em que acreditais: a vossa salvação. 10Essa salvação tem sido objeto das investigações e meditações dos profetas. Eles profetizaram a respeito da graça que vos estava destinada. 11Procuraram saber a que época e a que circunstâncias se referia o Espírito de Cristo, que estava neles, ao anunciar com antecedência os sofrimentos de Cristo e a glória consequente. 12Foi-lhes revelado que, não para si mesmos, mas para vós, estavam ministrando essas coisas, que agora são anunciadas a vós por aqueles que vos pregam o evangelho em virtude do Espírito Santo, enviado do céu; revelações essas, que até os anjos desejam contemplar! – Palavra do Senhor.

Evangelho          Mt 13,16-17

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: “Felizes sois vós, porque vossos olhos veem e vossos ouvidos ouvem. Em verdade vos digo, muitos profetas e justos desejavam ver o que vedes, e não viram, desejavam ouvir o que ouvis, e não ouviram”.
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Ø Homilia

Ø Credo.    
PRECES

Irmãs e irmãos em Cristo:
Oremos a Deus Pai todo-poderoso, que nos enviou o seu muito amado Filho na família de Sant’Ana e São Joaquim, e neste dia nos dá a graça de participar nestes Santos Mistérios, peçamos, com fé:

Todos: Ó Sant’Ana e São Benedito, ajudai-nos a pedir com fé!

1. Senhor, fazei que o Papa Francisco, o nosso arcebispo Dom José Antônio, os bispos a ele unidos, o nosso pároco e seus colaboradores, os Membros da Ordem dos Cônegos Regulares Lateranenses, dêem testemunho, por palavras e por obras, da santidade a que Deus os chama dia após dia, vos pedimos.

2. Ó Pai Santo, permiti que os nossos governantes e seus secretários, coordenadores e todos os funcionários públicos trabalhem bem, e, sejam homens e mulheres de paz, e o nosso povo possa viver tranquilo e progredir no bem-estar, na justiça e na liberdade, vos pedimos.

3. Jesus de bondade, apresentai ao Pai, todos os idosos, avós e pais de família, para que a exemplo de Santa Ana e São Joaquim, descubram em vós a Luz das nações e edifiquem um mundo mais justo e fraterno, como São Benedito procurou viver com todas as suas forças, vos suplicamos.

4. Espírito Santificador, pedi ao Pai por esta Paróquia que hoje renovou a Consagração e Compromisso com sua Padroeira, especialmente por todas as suas Comunidades, Associações, Movimentos e Pastorais, para que perseverem na fé e na piedade, e os seus membros cresçam no respeito mútuo ao redor da mesa da Palavra e da Eucaristia, vos pedimos.

5. Senhor da Misericórdia, olhai por todos os motoristas, frentistas e pessoas que utilizam dos automóveis para se locomoverem, Para que todos eles e a nossa Comunidade Paroquial tenham a coragem de tomar a sério e de viver o que ouviu hoje da boca de Jesus, amparados pela intercessão de nossos padroeiros. Vos pedimos.

6. Deus da vida, dai o descanso eterno a todos os fiéis defuntos que procuraram ser sal da terra e luz do mundo, enquanto em vida, trabalharam para o progresso do Serviço de Evangelização de nossa paróquia, vos rogamos.

Escutai, Senhor, as orações da vossa Igreja e defendei-a dos perigos que a rodeiam, para que possa servir-Vos com inteira liberdade e dar-Vos graças pelos benefícios recebidos. Por Cristo Senhor nosso.

LITURGIA EUCARÍSTICA

Comentário:
Trazemos ao Altar de Deus a nossa oferta de Pão e de Vinho. O pão vai converte-se na Carne de Jesus e o vinho será Sangue que o Neto adorável de Santa Ana derramou na cruz. Que nesta oferta possamos entregar nossas alegrias e dores, nossos trabalhos e repousos; ofertemos também nossos amigos e parentes, vivos e defuntos. Para que nossa caminhada paroquial seja contemplada com a força do Espírito Santo em todas as suas ações. Cantemos:




Oração Paroquial da Festa de 2016

Senhor Jesus Cristo, seja eternamente bendita a gloriosa Senhora Santa Ana, por ter tido a tarefa de levar em seu seio a Santíssima Virgem Maria, vossa Mãe.
Com todo nosso afeto e particular devoção, em comunhão com todas as comunidades deste território paroquial, vos pedimos: dai-nos a alegria que experimentou as almas de São Joaquim e Santa Ana no nascimento de sua Filha e os felicitarmos pelo generoso sacrifício que fez ao Altíssimo quando a apresentou no Templo.
Dignai-vos, Santa Ana, apresentarmos com vossas mãos a Jesus e a Maria, e sede perante eles nossa especial protetora e advogada insistente. Formai nos corações de todos os paroquianos, pelo poder de tua intercessão junto a Cristo, o desejo de sermos conhecidos por praticarmos uma vida comunitária exemplar, eucarística e mariana unida no amor do coração de Deus.
Não é em vão que a Trindade nos deu tão grande intercessora. Amém

Rogai por nós, ó gloriosa Sant’Ana,
Para que sejamos dignos das promessas de Cristo!






Breve Histórico

Santa Ana ou Sant'Ana (do latim Anna, por sua vez do hebraico transliterado Hannah, "Graça") foi mãe de Maria, avó de Jesus Cristo.

Os dados biográficos que sabemos sobre os pais de Maria foram legados pelo Proto-Evangelho de Tiago, obra citada em diversos estudos dos padres da Igreja Oriental, como Epifânio e Gregório de Nissa.

Sant'Ana, cujo nome em hebraico significa graça, pertencia à família do sacerdote Aarão e seu marido, São Joaquim, pertencia à família real de Davi.

Seu marido, São Joaquim, homem pio fora censurado pelo sacerdote Rúben por não ter filhos. Mas Sant’Ana já era idosa e estéril. Um anjo do Senhor lhe apareceu, dizendo que Deus havia ouvido suas preces. Algum tempo depois Sant’Ana ficou grávida. A paciência e a resignação com que sofriam a esterilidade levaram-lhes ao prêmio de ter por filha aquela que havia de ser a Mãe de Jesus.

Eram residentes em Jerusalém, ao lado da piscina de Betesda, onde hoje se ergue a Basílica de Santana; e aí, num sábado, 8 de setembro do ano 20 a.C., nasceu-lhes uma filha que recebeu o nome de Miriam, que em hebraico significa "Senhora da Luz", passado para o latim como Maria. Maria foi apresentada ao Templo de Jerusalém aos três anos, mas foi educada por sua mãe na Lei de Deus e na Tradição de Israel, seu povo.

Pelo texto Caverna dos Tesouros, atribuído a Efrém da Síria, Ana (Hannâ) era filha de Pâkôdh e seu marido se chamava Yônâkhîr . Yônâkhîr e Jacó eram filhos de Matã e Sabhrath. Jacó foi o pai de José, desta forma, José e Maria eram primos.

São João Damasceno, ao escrever sobre o Natal, deixa claro que São Joaquim e Santa Ana são os pais de Maria.

A devoção aos pais de Maria é muito antiga no Oriente, onde foram cultuados desde os primeiros séculos de nossa era, atingindo sua plenitude no século VI. Já no ocidente, o culto de Santana remonta ao século VIII, quando, no ano de 710, suas relíquias foram levadas da Terra Santa para Constantinopla, donde foram distribuídas para muitas igrejas do ocidente, estando a maior delas na igreja de Sant’Ana, em Düren, Renânia, Alemanha.

Seu culto foi tornando-se muito popular na Idade Média, especialmente na já citada Alemanha. Em 1378, o Papa Urbano IV oficializou seu culto . Em 1584, o Papa Gregório XIII fixou a data da festa de Sant’Ana em 26 de Julho, e o Papa Leão XIII a estendeu para toda a Igreja, em 1879. Na França, o culto da Mãe de Maria teve um impulso extraordinário depois das supostas aparições da santa em Auray, em 1623.

Tendo sido São Joaquim comemorado, inicialmente, em dia diverso ao de Sant’Ana, o Papa Paulo VI associou num único dia, 26 de julho, a celebração dos pais de Maria, mãe de Jesus.

A devoção a Sant'Ana obedece a uma tradição vinda de Portugal, onde os moedeiros de Lisboa administravam a Confraria de Sant'Ana da Sé. Era comum, naquela época, cada corporação administrar a Confraria de seu padroeiro. No Brasil, o Culto a Santa Ana está registrado nos livros de história datando deste o século XVI. Para o dia dela, igual para os santos juninos, é feita a última fogueira do ano. Na expressão popular de marcar o tempo do sertanejo, não se chama o sétimo mês do ano de julho, mas de Sant'Ana, mostrando assim que grande figura celebramos no dia 26. A maior imagem dedicada a Santa Ana está impressa em um rico mosaico no altar lateral da Catedral da Sé de São Paulo.


Santa Ana e São Joaquim são de fundamental importância na História da Salvação. Não só pelo nascimento de Maria, mas também pela formação que deram à futura Mãe do Salvador.

ORG: José Wilson Fabrício da Silva, crl